Palavras de Alento

18 de mar de 2011

Aniversário do Babaca

(Antes de iniciar o texto gostaria de explicar que na minha família nos chamamos carinhosamente de "babaca". Na verdade ninguém é babaca, mas como somos intolerantes por natureza, qualquer deslize torna-se imperdoável, por isso, no final das contas, todos são babacas!)

Conheço poucas pessoas que não gostam do próprio aniversário. A maioria de nós acredita que este seja um dia especial, e o vive intensamente, aceitando todos os abraços e mimos oferecidos por quem realmente se importa.
Ele não. E foi assim desde sempre, totalmente avesso a festejos em sua data natalícia. Chegava ao ponto de enfurnar-se em casa, desligar o celular e não atender ao telefone fixo. Ano passado eu fui almoçar com minha irmã e juntas comemoramos o aniversário dele. Uma tia me ligou reclamando: "Como é que pode??? A gente quer desejar coisas boas pra ele!!! Diga que eu liguei, viu...". Eu ria e tentava fazê-la entender isso com bom humor.
Uma vez insisti nessa história e preparei um jantar surpresa. Convidei os amigos mais chegados, os parentes mais próximos e lá ficamos plantados até as 23hs, quando decidimos comer, porque ele não deu as caras. De alguma forma desconfiou do circo armado e foi passar a noite na casa da namorada. Nós jantamos xingando-o com palavrões diversos, mas no dia seguinte lá estava eu a abraçá-lo, reclamando pelo "bolo".
Ele era tão diferente do resto da humanidade, não que fosse de todo bom, tinha lá seus defeitos, como todos nós. Mas passávamos por cima de tudo. 
Hoje não temos lembranças de festas, de brindes ou de farrinhas comemorando seu niver. Talvez isso torne nosso dia menos triste. Terá sido por acaso? Não, não acredito no acaso. Há pessoas que são predestinadas, e nós nem sempre conseguimos interpretar os sinais que nos mandam.
Era especial, não só pra mim, mas pra todos que tiveram a oportunidade de conviver com ele, de conhecer seus posicionamentos inflexíveis, seu gosto refinado, seu olhar firme, que, por mais que tentasse ser durão, transmitia todo amor que sentia por nós.
Foi uma das pessoas que eu mais amei na vida. Aquele amor puro e desinteressado que a gente só dedica mesmo a pessoas pra lá de especiais, sabe...? 
Saudade...
Ele deixou um vazio dentro de mim, que provavelmente ninguém vai preencher.

Até a próxima vez...

PS: Olho pro tempo lá fora e não consigo parar de cantarolar esse trecho da canção de Mayra Andrade:
"Hoje o dia amanheceu tão triste..."

5 Recadinhos

Kátia Tourinho

comentou...

Lindo post minha amiga. Um texto repleto de emoção e muito amor.
Esse vazio sempre será preenchido com as mais belas lembranças.
Bjssssssssss de luz

18 de março de 2011 20:45
Responder
Luiz

comentou...

Com certeza amor... esse sentimento puro que se transmite das mais diversas formas possíveis. Paz!

18 de março de 2011 21:57
Responder
Sheila Carine

comentou...

Amiga muito lindo este desabafo. Mas saiba de uma coisa: este amor que sente por ele não acabará nunca e um dia, pode crer nisso, vocês se encontrarão. Beijos

18 de março de 2011 22:40
Responder
A viajante

comentou...

Nossa, me fez chorar...fico tentando não comparar mas me é impossível. Na minha família, entres os seis irmãos, nos chamamos de idiotas. Ao invés de dizer: alô, irmão? Dizemos: Idiota, cade vc? Já minha mãe, se refere a cada um de nós, dependendo do tamanho/nível da besteira que ela julga de besta, bestinha ou bestão...risos... sobre o aniversário do "babaca" ele deve ter feito de propósito, pro dia dele ser ainda mais especial! E que bom, pois a saudade só existe para pessoas especiais! Bj, amiga!

19 de março de 2011 11:11
Responder
Antonio de Aruanda

comentou...

Parabéns para "O Babaca", onde quer que esteja. Nosso amor por ele vive.

19 de março de 2011 23:22
Responder

Postar um comentário

Se impressionou? Então me conte!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...