Palavras de Alento

30 de mai de 2011

Imprescindível Agora

Hoje em dia existe uma infinidade de coisas que, segundo propaga-se, servem para facilitar nossa vida. Passa por toda sorte de categoria, desde pequenos objetos, a aparatos tecnológicos de última geração. Fato é que, a humanidade sobreviveu por milênios sem sentir falta deles, mas agora ficam totalmente perdidos se não os tiverem por perto.
Elenquei alguns.
- Restaurante a quilo: Nos grandes centros, como Salvador, quem dispõe de tempo pra ir almoçar em casa? Com o trânsito enlouquecedor daqui, eu certamente infartaria ao volante se tivesse que voltar pro trabalho dirigindo após o almoço. Quando comecei a trabalhar, nos idos dos anos 90, levávamos a famosa "marmita" de casa. Hoje em qualquer esquina encontra-se um restaurante a quilo. Nas proximidades da escola onde trabalho são quatro. Sete anos atrás, era apenas um.
- Cinto de segurança e cadeirinhas para crianças: Os cintos já existiam, mas ninguém usava-os, até tornarem-se obrigatórios. Sobre as cadeirinhas só tomei conhecimento quando meu filho nasceu, porque enquanto criança, nunca usei. Agora imagine a garotada solta no banco de trás, fazendo uma bagunça retada e enlouquecendo quem dirigia. E o pior, num momento de acidente, voavam pelo pára-brisa. Morte certa.
- Telefone celular: quem vive sem ele? Antigamente se ligássemos pra casa de alguém e não encontrássemos, provavelmente esperaríamos até a noite, ou o dia seguinte, pra falarmos. Nada era urgente. Hoje a gente dá uma volta enorme pra buscá-lo quando esquece em casa, e quase todas as pessoas que conheço, tem mais de um número. Virou vício trocar de aparelho, tem sempre um mais moderno...
- Carro: Não é nenhuma invenção atual, mas já reparou que todo mundo tem? Até eu! Digo isso porque quando comecei a trabalhar, objetivava comprar um apartamento, nunca pensei em carro. Mas depender desse sistema de transporte coletivo que temos é quase indigno!

Ah, é isso, senão o texto fica enorme e ninguém quer ler. Contribuam. Há algo sem o qual você não vive, e que não existia há alguns anos?
Essa é do tempo em que era moda fotografar crianças em cima do capô do carro e não existia máquina digital pra gente ver a foto logo após o clique.


12 Recadinhos

Kátia Tourinho

comentou...

Amigaaaaaaaaaaaaa, eu tenho uma foto com meus irmãos, igualzinha a essa...rsrsrsrs
Não vivo hj sem meu computador. Esse é meu companheirão....kkkkkk Fico alucinada quando estou sem internet. Vício é vício, não é amiga? rs

Bjsssssssssssss de luz

30 de maio de 2011 19:28
Responder
A viajante

comentou...

Não vivo sem meu bloguito, muito menos sem visitar os bloguitos que gosto, como esse aqui...a vida sem a blogosfera é insossa, irreal...risos...bj, Patiinha!

30 de maio de 2011 20:25
Responder
Luiz

comentou...

O scanner, juntamente com a internet, possibilita que possamos dar entrada em processos sem sair do escritório ou até mesmo de casa. Sem falar do pendrive que me permite colocar todo o escritório no bolso da camisa. Imprescindível agora, mas nem me lembro como era a minha vida sem eles. Beijos

30 de maio de 2011 21:43
Responder
A viajante

comentou...

Lembre de algo muito mais necessário: um NOVO amor, imprescindível pra mim,agora. Agora não, JÁ!

31 de maio de 2011 10:54
Responder
Paty Michele

no comando :)

Ah, nem citei computador e internet porque cairia no óbvio ululante, td mundo sabe que eu não vivo sem isso!

31 de maio de 2011 13:25
Responder
Lívia

comentou...

ahahahaha essas fts antigas são mto cômicas!!!!!!!
as máquinas digitais pra mim são imprescindíveis, pq era mto ruím esperar pra revelar as fotos e qdo ficavam prontas estavam tortas, tremidas, desfocadas.... kkkkkkkk
hj é mto mais simples, se ficar ruím, apaga.

31 de maio de 2011 15:27
Responder
Cecilia Ferreira

comentou...

O travesseiro. Uma invenção que de tão antiga ninguém acha que é invenção. E poucos vivem sem!
Passe no meu blog. Tem poucos dias,mas anda bem acessado. (www.doleredolar.blogspot.com) Humor ácido com as coisas do dia a dia.
Abraço

31 de maio de 2011 16:46
Responder
Ventura Picasso

comentou...

Oi Paty: Quando entrei em Salvador pela 1ª vez, o semáforo era manual, mas ninguém conseguia ver o guarda de transito. Todos os motoristas dirigiam com a mão na buzina, um barato! Almocei numa boate no caminho de Abaeté... Hoje algumas coisas são muito parecidas com o antes; pra mim, a mão na buzina é tão intrigante quanto ao telefone que fotografa e filma. Todo mundo é fotografo! Não podemos esquecer o que será do iPad...
bjssssssssssss

31 de maio de 2011 16:57
Responder
Vera Lúcia Duarte

comentou...

Paty Michele,
A primeira coisa que me ocorreu enquanto estava lendo o texto foi o computador. Fico louca quando ele entra em parafuso.
Obrigada pela visita ao meu recanto.
Já estou seguindo você.
Beijo.

31 de maio de 2011 19:44
Responder
Lena

comentou...

Oi, Paty
Essa nossa dependênciaa em relação avanços tecnológicos está virando uma verdadeira neura.Procuro às vaezes até desligar o celular pra ver se me liberto mais um pouco. Mas que é bom ,lá isso é!!!Bjkas com muito carinho!

1 de junho de 2011 14:54
Responder
Jeanne Muniz

comentou...

Babá eletrônica... meu filhote não tira um cochilo sem ela ao lado.

1 de junho de 2011 22:57
Responder
dene

comentou...

kkkkkkkk lembrei de algo que ficou melhor e mais moderno apesar de bem antigo...OCULOS..EU USO OCULOS...kkk eram horriveis eu morria de vergonha hoje fico mas bonita com eles o design ainda bem que melhoraram...kkkkkkkkk

2 de novembro de 2011 20:13
Responder

Postar um comentário

Se impressionou? Então me conte!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...