Palavras de Alento

1 de abr de 2011

A história secreta da Mulher Só e do Homem Sem Tempo

Capítulo XXIII 

Achou por bem não dormir em Lisboa. Ao invés disso, tomou um comboio ainda de madrugada, e chegou ao hotel pouco depois das 8 da manhã. Ele estava à sua espera, recém saído do banho, sentiu o cheiro da loção de barbear quando o cumprimentou com um beijo no rosto. 
Serviram-se, ele pegou um café, ela preferiu chá, depois sentaram-se à mesa para degustar as delícias do pequeno almoço, como os portugueses chamam a primeira refeição do dia.
A aliança de ouro grossa teimava em chamar-lhe a atenção. Seus olhos quase ofuscavam quando pousavam sobre o objeto.
Incomodada, perguntou: 
- E essa aliança?
Ele, tentando conter o riso, desconversava: 
- O que é que tem? É só um símbolo... 
- Para mim simboliza muito. 
- Isso te incomoda? 
- Sim. 
- Então tire-a! – estendeu-lhe a mão esquerda, desconcertando-a. 
- Não. Eu não posso fazer isso.
Ele riu. Ria dos medos dela, das preocupações, das incertezas, das inseguranças... Mas parecia bastante seguro do que queria e, sobretudo do que fazia. 
Terminaram o café e saíram do hotel. Ela havia dito que voltaria imediatamente para Barcelona, mas ele não se deu por satisfeito. Assim que entraram no carro, partiu pra cima dela e beijou-a apaixonadamente, quebrando todas as suas resistências. Sentiam o desejo crescer dentro deles e uma vontade incontrolável de estar juntos. 
- Fica aqui, fica comigo – ele sussurrava ao seu ouvido e ela derretia-se com aquela situação. 
Olhou-a nos olhos, suas faces estavam coradas, a boca vermelha, ardia como brasa e o corpo estava totalmente entregue. As palavras dela tornaram-se desnecessárias, pois seu olhar dizia-lhe tudo.
Mas não podiam esquecer que estavam dentro de um carro, parado em frente ao hotel, numa via pública. 
- Eu tenho alguns compromissos durante a tarde, mas a noite estarei livre. – falava segurando seu rosto com as duas mãos. – Eu preciso te ver de novo
Ela assentiu. Como poderia dizer não?
- Vou aproveitar a tarde pra pesquisar um material na biblioteca nacional. 
- Ótimo, eu te apanho lá no final da tarde e te trago aqui pro hotel.
Ela fez que sim com a cabeça, sorrindo.
Perdera o medo e resolvera entregar-se sem reservas, correspondendo aos beijos longos e apaixonados que ele lhe oferecia.


To be Continued

8 Recadinhos

Antonio de Aruanda

comentou...

"Hoje estou contente, vai haver festança" . Beijo.

1 de abril de 2011 13:00
Responder
Carol Fonseca

comentou...

Ai ai... eu já disse que amo essa história??

1 de abril de 2011 22:20
Responder
Kátia Tourinho

comentou...

Menina, essa Mulher Só tá muito devagar. Agora que o Homem arranjou tempo, ela quer ir pesquisar?Depois de um encontro quente desses, será mesmo que ela terá cabeça para ir à biblioteca?

Estou ansiosa para saber se ela conseguirá fazer a tal pesquisa! rsrsrsrs
Bjsss

1 de abril de 2011 22:27
Responder
Luiz

comentou...

Rs... Pelo visto ela só irá descobrir o objeto de pesquisa dela quando retornar ao hotel.

2 de abril de 2011 13:03
Responder
A viajante

comentou...

"ai, o amor, humm o sexo..."Rita Lee, sabia dessa história?????

2 de abril de 2011 19:08
Responder
Paty Michele

no comando :)

Não fiquem ansiosos demais, pois em se tratando de desencontros, tudo pode acontecer com esses dois. Esqueceram que vcs esperaram 20 capítulos para ver (ler) o primeiro beijo??? Imagine a primeira noite. kkkkkkkkk

4 de abril de 2011 09:42
Responder
Lóis

comentou...

Amei o texto!!!! vou continuar passando por aqui!!! bjss

4 de abril de 2011 14:19
Responder
Sheila Carine

comentou...

Hum..... eu acho que esta primeira noite vai acontecer mais cedo do que possamos imaginar...... To no aguardo e torcendo pra isso, bj

10 de abril de 2011 22:27
Responder

Postar um comentário

Se impressionou? Então me conte!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...