Palavras de Alento

27 de ago de 2010

A história secreta da Mulher Só e do Homem Sem Tempo

Capítulo XIII


Há um mês estava em Barcelona. A cidade era esplêndida, o povo bastante acolhedor e o Mestrado em Cidadania e Direitos Humanos fazia parte de um antigo projeto de vida que por diversos motivos não pudera ser concretizado antes. Poderia tê-lo feito no Brasil, havia bons cursos voltados para as Ciências Sociais e Políticas, sua área de formação, porém achou por bem viajar e ficar longe daquela vida que já não a agradava.
Por várias vezes adiara esse projeto. Primeiro por causa do seu ex marido, cujo emprego exigia que estivessem sempre se mudando de uma cidade pra outra. Isso a fez morar em sete lugares durante o breve período de quatro anos em que estiveram juntos. Tempo suficiente pra saber que preferia viver a sua própria vida, os seus próprios planos e sonhos. Não tinha saudades da vida de casada. No final das contas acabava sentindo-se sozinha sempre, devido à dedicação que o trabalho dele exigia.
Estava voltando pra casa, no final da tarde, quando passou em frente a uma sorveteria, ou gelateria, como chamavam por lá. Estava fechada, provavelmente por causa do inverno rigoroso que acometera a Espanha este ano. De imediato recordou seu derradeiro encontro com o Homem Sem Tempo. Naquela tarde tivera a certeza de que a decisão mais acertada a tomar fora essa.
Falaram sobre política, essencialmente, e sobre os rumos que tomou o antigo grupo do qual faziam parte. E apesar de terem trocado olhares estranhamente perturbadores, que deixou no ar a certeza de que algo a mais existia entre eles, nenhum dos dois teve coragem de dizer uma só palavra sobre o que sentiam.
Na despedida trocaram seus endereços eletrônicos, mas ela nada dissera sobre sua viagem. Depois disso, decidira silenciosamente que não falaria mais nada. Se ele foi ao seu encontro usando uma aliança, deixava tudo muito claro para ela. Engoliria em seco aquela história que criara em torno dele e esqueceria de uma vez por todas aquele que homem não podia ser seu.

To be continued

6 Recadinhos

Luiz

comentou...

Essa aliança pesou muito. Será que um pedaço de ouro (ou prata, sei lá) é capaz de destruir um amor? Beijos

27 de agosto de 2010 17:39
Responder
Rádio Blog

comentou...

"Filosofia é poesia é o que dizia a minha vó
Antes mal acompanhada do que só
Você precisa de um homem pra chamar de seu
Mesmo que esse homem seja eu"

27 de agosto de 2010 17:41
Responder
Antonio de Aruanda

comentou...

Estou arrasado! Se o HST não for para Barcelona,fazer amor de forma caliente com a MS, eu volto a fazer terapia!!! Que corte! Você é má! Eu já estava imaginando os beijos sedentos, a entrega insólita, o gostinho do proibido... Irmã você é uma folhetinesca sádica (risos) Como é que faz isso com seus leitores? Acho bom a MS tomar um ácido na Espanha e despirocar um pouqinho. Beijo. Tá Massa!

27 de agosto de 2010 20:16
Responder
Kátia Tourinho

comentou...

Estou torcendo para a MS esquecer de vez o HST. Já é complicado amar, pior ainda, amar um HST e sem atitude. Acredito que a MS merece realmente um homem com tempo suficiente para mimá-la e fazê-la viver novas emoções! Bjssss

27 de agosto de 2010 20:37
Responder
A viajante

comentou...

Este homem não tem tempo, muito menos disponibilidade. A mulher só, sabe o que é sofrer à espera de um milagre, que nunca vem...Bj

27 de agosto de 2010 21:40
Responder
Paty Michele

no comando :)

Ai, que delícia... adoooooro!

Luiz: esse "pedaço de ouro" tem um peso que vc não imagina...

RB: Ela vai ter um homem, só é preciso esperar um pouco.

Toni: Essa estadia na Espanha promete. Aguarde!

Kátia e Ju: Estou com vcs, a gente sabe o que é certo!

28 de agosto de 2010 09:06
Responder

Postar um comentário

Se impressionou? Então me conte!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...