Palavras de Alento

4 de jul de 2012

Mudando de Área

Que mudar é difícil, a gente tá cansado de saber, seja mudança interna ou externa.  Não é só uma questão de resistência a mudanças. É porque envolve toda uma adaptação, um encantamento por algo novo, uma saudade do que passou... 
Parece que estou falando de amor, mas estou falando de trabalho (se bem que não dá pra fazer um bom trabalho sem amor, né?)Agora estou descobrindo como é difícil mudar de área de atuação. 
Esse ano deu um boom aqui na rede municipal de educação, porque foram matriculados muitos alunos especiais. E aí deu um pânico total na professorada. Como lidar com especificidades tão distintas? Como incluir? Como dar conta da aprendizagem desses alunos? 
Eu, que não sou de ficar (só) reclamando, me inscrevi num curso de Deficiência Intelectual, na tentativa de entender melhor as dificuldades e limitações desses alunos. Preciso salientar que as faculdades de Pedagogia não preparam para essa área quem quiser que vá fazer sua pós. Então eu conclui que também tenho muitas  limitações e está sendo difícil prosseguir no curso. Primeiro porque me falta paixão pra mergulhar no assunto e segundo porque eu não acredito nas fórmulas "deles". E acho que o segundo motivo acaba determinando o primeiro.
A lei obriga as famílias a matricularem as crianças especiais nas escolas regulares (senão perdem os benefícios), as secretarias de educação superlotam as salas de aulas, cobram resultados (diga-se aprovação) e nós, professorinhas, temos que operar milagres. Sem preparo, sem infra estrutura adequada e sem apoio especializado.
Imagem daqui
Quem me conhece sabe que a minha paixão se chama TECNOLOGIA. Ao concluir a faculdade   mergulhei de cabeça no mundo apaixonante dos bits. Fiz duas especializações nessa área, mas nunca consegui aplicar efetivamente os conhecimentos construídos porque as condições de trabalho não permitem. Mas isso daria outro post, porque a "coisa" pública dá nos nervos! 
E eu, que resolvi estudar, entender e (quem sabe) atuar numa área totalmente diferente da minha, me sinto perdida e frustrada. 

22 Recadinhos

Marly Bastos

comentou...

Que dizer da sua atitude?? `Parabéns querida, as mudanças ocorrem quando aceitamos que somos responsáveis também pelo processo.

PS:Meu blog estava dando erro e mesclando com outro blog que parece ter o mesmo domínio e então eu mudei o meu link :
http://palavresias.blogspot.com.br/
Por favor altere o link.
Bkjas doces

4 de julho de 2012 22:04
Paty Michele

comandando... ♥

Ok, Marly, vou corrigir.
bj

5 de julho de 2012 19:19
Responder
Vera Lúcia

comentou...

Olá querida,

Posso imaginar como você se sente. É sempre menos prazeroso atuar numa área que não escolhemos e que não nos desperta paixão ou encantamento, ainda mais com falta de infra-estrutura. Mas acredito em seu potencial. Há caminhos para os quais somos levados e que costumam ser bem gratificantes, nem que seja para o nosso crescimento.

Beijão.

4 de julho de 2012 22:21
Paty Michele

comandando... ♥

Acho que o pior mesmo é não poder atuar na área de tecnologia, por causa da buRRocracia.
Espero poder encantar-me com os especiais.
;)

5 de julho de 2012 19:28
Responder
Lidiane Franqui

comentou...

Oi Paty,

Entendo o sentimento de frustração que está tendo e como se sente perdida. Eu comecei estudando jornalismo, desisti no meio porque não me identifiquei com o mercado. Fiquei frustradíssima e fui para a área da saúde e hoje sou técnica em radiologia. Adoro a profissão e a exerço, mas descobri há pouco tempo, ou melhor, redescobri que minha paixão mesmo é escrever;
Mudar é muito difícil sim, principalmente quando já se tem uma vida formada. Mas se for necessário amiga, faça o que tiver que ser feito, pois nada paga nosso bem-estar e em matéria de trabalho isso é primordial.
Te dou todo apoio.

Um grande abraço!

5 de julho de 2012 09:21
Paty Michele

comandando... ♥

Lidiane, eu tbm já quis fazer jornalismo, pq amo escrever. Mas sou feliz como professora, apesar dos percalços. rsrrs

um abraço

5 de julho de 2012 19:30
Responder
A viajante

comentou...

Patiinha, paixão pelo que fazemos é de fato o que nos ilumina, o que nos encontra. Na verdade, você não está mudando de área. Você está ampliando sua percepção sobre a área. Pensar a educação é pensar nas questões bio-psico-sociais... não tem jeito!! Apaixone-se! Meu conselho é: apaixone-se! As crianças vão agradecer por mais uma professora apaixonada pela inclusão!

5 de julho de 2012 09:29
Responder
A viajante

comentou...

Ah... estou escrevendo um livro sobre minha experiência em psicopedagogia... tomei coragem pra declarar, na escrita, a minha paixão por essa área, tão específica e tão carente de boas obras.... vamos ver no que vai dar... a greve é isso! Bj

5 de julho de 2012 09:30
Paty Michele

comandando... ♥

Ju, que ótima notícia!!! Vem coisa boa por aí, que eu sei.

Ah e valeu a dica. Tá faltando paixão mesmo.
bj

5 de julho de 2012 19:21
Responder
Professora Enecí

comentou...

Mudança,sempre é bom quando se opta por isso.
Acho que vc está certa e mudar é preciso.Mesmo quando pinta frustações,pois é através delas que conseguimos crescer como seres humanos e profissionais.Quanto a educação vivemos em uma corda bamba,precisamos ter muito amor no coração para dar conta de tudo que vem nos acontecendo dentro deste contexto.Mas vamos que vamos e se Deus quiser a cada dia conquistaremos uma nova vitória,mesmo que seja muito pequena.Não desiste amiga,bola pra frente.As crianças e adolescentes precisam muito da gente.
Olha este é o endereço do meu blog:
http://enecidourado.blogspot.com
Bjos

5 de julho de 2012 15:36
Paty Michele

comandando... ♥

Olá, Eneci
obrigada por ter voltado. É bom ter colegas pra compartilhar esses dissabores por aqui tbm.
um abraço.

5 de julho de 2012 19:22
Responder
Sissym

comentou...

Paty, muitas vezes desejei mudar de area, para isso é preciso investimento ou aptidão para, talvez, até mesmo, radicalizar. Eu admiro quem consegue fazer isso, porque realmente nao é facil.

Beijos

5 de julho de 2012 18:40
Paty Michele

comandando... ♥

Sissym, como disse a minha amiga Viajante, eu não estou mudando de área, mas procurando ampliar minha percepção sobre outra vertente da educação.
Mas é difícil mesmo!

6 de julho de 2012 20:03
Sissym

respondeu...

Paty, alguns anos atras, eu fiz mais cursos para aperfeiçoar o que exerço atualmente, isso ajudou bastante.

BEIJOS

7 de julho de 2012 19:45
Responder
Sérgio Santos

comentou...

Bacana a sua atitude, Paty. Mas seu desânimo é totalmente compreensível. Imagino que esses métodos para crianças especiais não deva ser o adequado mesmo, infelizmente. Se nem os para crianças sem problemas de saúde o estado é crítico, imagine para as outras. Mas ao menos vc é feliz na sua profissão, eu, confesso, ando desanimado com a Biologia. Beijão.

6 de julho de 2012 03:42
Paty Michele

comandando... ♥

Rapaz, vc nem imagina como é complicado. Os teóricos precisavam mesmo é ir praticar e ver como é o negócio!
kkkkkkk
Um bjo, querido.

6 de julho de 2012 20:05
Responder
Vanda

comentou...

Muito louvável a sua atitude Paty, infelizmente a educação em nosso país tá meio largada, se não são os profissionais lutarem para dar uma base aos alunos...
Desejo toda sorte do mundo, você é uma pessoa capaz e sei que em tudo o que você entrar vai se sair muito bem!!!

Beijinhos, ótimo final de semana!!

6 de julho de 2012 10:59
Paty Michele

comandando... ♥

Brigadão, Vandoca!
bj

6 de julho de 2012 20:10
Responder
Vera Lúcia

comentou...

Olá querida,

Passando para lhe agradecer a agradável visita e desejar-lhe um lindo dia.

Beijo.

6 de julho de 2012 11:20
Responder
Van

comentou...

Oi Paty

Como é difícil encaixarmos nossas paixões e aptidões em nossa condição de trabalho, em geral somos submetidos ao contrario do que nos dá prazer e haja resiliência para nos adaptarmos e sermos produtivos apesar de, imagino como deve ser difícil para você e como os entraves são grandes, mas não é só na sua profissão, todas tem sua parcela de dificuldade, de engessamentos e impossibilidades que frustram.

Te indiquei para um MEME, fique à vontade para faze-lo ou não.

Beijos

7 de julho de 2012 18:17
Responder
Cecilia sfalsin

comentou...

Ola Paty,

Me perdoe a demora, em agradecer a tua preciosa visita em meu blog, estive meio gripada por estes dias, mas me senti honrada com sua presença, e me identifiquei muito com o seu conteúdo, e vim pra ficar, e se me permite, levo teu link comigo para acompanhar mais de perto tuas pérolas em letras...

Beijos e tenha um excelente domingo..

7 de julho de 2012 21:35
Responder
Luiz

comentou...

É Paty... eu me apaixonei pelo tema Pessoa com Deficiência no grupo de Pesquisa "Direitos Humanos, direito à Saúde e Família" (CNPq/Ucsal). Tenho noção de que a inclusão não é prioridade nas agendas governamentais e quando se tenta fazer algo, não se faz com especificidade necessária. Te conheço bem de perto e sei do seu esforço para uma educação pública de altíssima qualidade. Sei também da sua paixão pelas tecnologias. Quem sabe as tecnologias não sejam caminhos para a inclusão? Você é a pessoa certa para essa resposta!!! Beijos!

8 de julho de 2012 10:49
Responder

Postar um comentário

Se impressionou? Então me conte!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...