Palavras de Alento

26 de mai de 2013

Dos medos

Sempre fui uma pessoa medrosa. Embora muita gente me ache corajosa, em verdade, a maioria das vezes que tive atos de bravura, foi por pura falta de opção. Também não acho que o contrário de corajoso seja medroso. Ser medroso é ser cauteloso. Pra mim o contrário de corajoso é covarde. E isso eu nunca fui. 
Enfrentei muitos medos nessa vida, mas ainda tenho uma porção deles. Sobre o maior deles eu nem me atrevo a falar, que é pra não atrair. Mas no fundo eu sei que alguns desses medos me rondam, estão sempre espreitando, chegando perto, me testando. E eu aqui, respondendo a tudo com aquela falsa bravura, de quem não tem outra escolha, senão fechar os olhos e se atirar no abismo.
Estamos aqui vivendo dias difíceis. Coisas pelas quais toda família passa, ou vai passar um dia. Quando um idoso adoece, já se começa a pensar no pior. E quando já se passou por algo pior, parece que é ainda pior!
Ver meu irmão morrer tão jovem, há dois anos, parece que me secou um pouco por dentro, ou me deixou mais medrosa. O sofrimento que minha família passou é algo que não queria ver nunca mais. Mas sei que isso é impossível. Aos poucos, morreremos todos. 
E pra ser sincera, nem acho que a morte seja o pior de tudo. Pelo menos não pra quem morre. Mas pra quem fica é terrível! E o meu medo no momento é esse: a reação de quem fica, porque muitos acabam morrendo um pouco também.


20 de mai de 2013

Eu já quis...

... ter apenas um filho
... seguir carreira acadêmica
... estudar Psicologia, Jornalismo e Letras
... morar no exterior
... saltar de pára-quedas
... escrever um livro
... viver só 50 anos
... ter uma moto
... ter um jipe
... raspar a cabeça
... ter um cachorro
... aprender a tocar violão
... abrir uma pousada
... abrir um restaurante
... mudar de profissão
... casar com um médico
... não casar
... não casar de novo

Hoje não quero mais nada disso. 
Meus sonhos são tão simples que corro o risco de ser chamada de louca.


Um beijo a todos!

15 de mai de 2013

Links da quinzena #5

Li uma porção de textos interessantes nessa quinzena, e selecionei esses 10 pra quem quiser dar uma conferida.
  1. Blog da Chef Juju - Um blog onde mãe prepara os posts e a filha faz receitinhas deliciosas para a garotada. A chef Juju tem só 10 aninhos.
  2. Infância livre de consumismo: A incrível ciência do vício em junk food. Mais um alerta para pais e consumidores dessas comidas que são deliciosas, mas que são preparadas para nos viciar (e matar!)
  3. Beleza e Saúde: 12 alimentos que emagrecem. Eu agora como pepino, maçã, mamão e abacaxi, dentre outros, todos os dias.
  4. Vírgula: Empresa chinesa polemiza ao se recusar a contratar pessoas de virgem ou escorpião. Se a moda pega...
  5. Carpinejar: Quando a amizade é para sempre. Um texto lindo, verdadeiro e super atual sobre a arte de cultivar amigos.
  6. Hypeness: Pai capta universo particular do filho autista em projeto sensível.Pra quem ama fotografia e tem sensibilidade para apreciar um trabalho desse porte.
  7. IG Carros: Empresa americana lança carro voador. E precisam urgentemente lançá-los nas grandes capitais.
  8. Sem Clichê: Sobre se mãe antes dos 30. Um texto lindo sobre uma história de sucesso de quem engravidou aos 15 anos.
  9. Estadão: Depoimento de angelina Jolie sobre a mastecotomia. Desde ontem circula a notícia da mastectomia preventiva feita pela atriz, temendo o alto risco de câncer. Quem tem filho, tem medo!
  10. Yahoo Notícias: Reportagem sobre minissaia cria polêmica na Espanha. Essa é pra descontrair... imagina se acontece no Brasil dos bondes da vida...
Um beijo grande pra vocês!

12 de mai de 2013

Ter e/ou Ser Mãe

 Eu sempre achei que as mães exageravam na dose. Aquela história de padecer no paraíso, de se doar, de amar mais do que a si mesma... pra mim era tudo exagero, conversa fiada, drama! No geral, sempre achei as mães, dos outros, exageradas em seu sofrimento.
Mas minha mãe nunca foi dramática, era realista, direta e até um pouco dura. Nada de denguinho ou de moleza. A gente aprendeu a se virar desde cedo. Arrumar o quarto, colocar a própria comida no prato (sem desperdiçar), lavar louça e até cozinhar. Foi um aprendizado na prática e isso nos tornou pessoas independentes. Gosto disso. 
Claro que senti falta de alguns mimos, mas não posso reclamar, porque tenho consciência de que nossas relações familiares são fruto de nossas vivências e escolhas anteriores à esta vida.

Cresci querendo ser mãe. Não pra repetir o modelo de mãe que eu tive, nem para negá-lo totalmente. Não faço igual, nem faço o contrário. Não planejei como seria. Estou aprendendo a ser mãe, também, na prática. 
Bento é uma verdadeira bênção e me prova a cada dia que tudo valeu a pena. Desperta em mim o desejo de ser mãe novamente, mas se não acontecer, fico satisfeita por ter a oportunidade de tê-lo como filho único.
Só depois que fui mãe aprendi que elas não são exageradas. É que o amor que a gente sente por um filho é tão imensurável, que tudo toma dimensão incalculável. Inclusive os dramas, as recomendações, as cobranças e sobretudo, as expectativas. Eu tento equilibrar as coisas, mas é difícil. Mãe é passional até a alma!

Queria deixar o meu abraço a todas as minhas amigas blogueiras mães. Às minhas tias, avós, madrinha, primas, sogra, cunhada e à minha mãe. Que Deus abençoe a todas nós.

9 de mai de 2013

Fotos de Quinta #4

Quando eu resolvi participar do desafio das Fotos de Quinta, na verdade eu queria aproveitar as fotos que tenho em meu acervo pessoal. Só que eu não contava com a ideia dos temas. Os temas restringem o uso das imagens que possuo. Anda assim, gosto de participar.
Esse mês o tem é "igreja". Então poderia ser muito fácil pra quem mora em numa cidade onde há uma igreja para cada dia do ano. Daqui mesmo, da janela do meu quarto posso ver duas torres. Ainda assim queria usar um foto que já tenho aqui, tirada no batizado de meu sobrinho César, no ano passado.
A imagem mostra o interior de uma das igrejas mais bonitas que conheço, a Igreja dos Mares. Sua construção, data do século XX, é uma das três em estilo neo-gótico do estado e ostenta enormes e lindíssimos vitrais. 
Uma vez eu li que as igrejas católicas eram suntuosas para que o homem se sentisse pequeno diante de Deus. Eu sempre lembro disso quando adentro uma igreja, e nessa, com certeza me senti assim. 

Quem quiser conhecê-la por fora, é só clicar aqui.

4 de mai de 2013

Somos tão jovens


Ver esse filme foi uma verdadeira viagem no tempo. Frases, sons, imagens, mensagens, cheiros, sabores e sentimentos vieram à tona, porque a trilha sonora da minha adolescência foi cantada por Renato Russo. Eu e meus amigos vibrávamos a cada novo disco, esmiuçávamos a vida do nosso ídolo e tentávamos viver conforme a sua lei. Éramos os rebeldes da cidade, bebíamos muito, vestíamos preto e ouvíamos rock'n roll. Um escândalo para uma cidadezinha pequena de interior.
Pra quem conheceu essa história, ou viveu parte dela, o filme tem o poder de transportar e emocionar o espectador-fã. Thiago Mendonça, o protagonista, está impecável nos trejeitos, no modo de falar e transmitir a verdade de Renato, sua poesia e seus pitis. O filme mostra que os gênios já nascem gênios, se destacam desde cedo, se incomodam, se questionam, se inquietam perante a vida.
Lembrei de meu irmão.
Em 1990 tivemos a oportunidade rara e única de conhecer a Legião Urbana em uma de suas vindas a Salvador. O pai de uma amiga trabalhava num grande hotel aqui da cidade, onde banda se hospedou. Eu, meu irmão, e mais um casal de amigos demos plantão nesse hotel à espera de nossos ídolos e conseguimos conhecer todos eles. Dado Vila Lobos foi o primeiro, estava com a mulher e dois filhos pequenos, indo pra piscina. Foi simpático e tirou fotos com a gente. Abordamos Bonfá na volta da praia, com o cabelo bagunçado, de chinelos e também se deixou fotografar conosco. 
O encontro com Renato Russo foi apoteótico. Lembro de meu irmão, então com 16 anos, abraçando-o e comparando sua altura com a do nosso ídolo, que parecia enorme no palco, mas na verdade não passava de 1,60m. Queríamos autógrafos, e Renato brincou, perguntando se aquilo valia dinheiro em nosso planeta.
Foi o ponto alto de nossas vidas. Um momento inesquecível!
As lembranças desses dois shows surgiram no final do filme. No momento em que aparecem as imagens originais da banda, a lembrança de meu irmão, meu companheiro nessas aventuras, apareceu também. 
Eu o vi tocando guitarra como Dado, com seus braços fortes e bem torneados expostos nas camisas com mangas cortadas por ele mesmo. O vi no corte de cabelo de Dado, na carinha de menino. Nas apresentações de sua banda, onde eu ficava na primeira fila e depois ajudava a carregar os instrumentos pra casa. Nas camisas brancas, compridas folgadas, em tamanhos maiores que o seu, e na dança esquisita de Renato, que Crístian reproduzia tão perfeitamente.
Ambos morreram aos 36 anos. Foi também o que lembrei, e pelo que chorei. 

Éramos tão jovens...


1 de mai de 2013

Top Parceiro #Abril

Comecinho de mês, feriado no meio da semana pra gente dar aquela descansada, e hora de conferir qual foi o blog que gerou mais visitas para o IMD no mês de abril.
Esse blog já é parceiro de longa data, porque sua autora é uma queridona, que eu conheci aqui na blogosfera, mas que curto demais. A Vanda administra um blog completo, que fala sobre tudo e além disso dá ótimas dicas pra quem gosta de fuçar a blogosfera. rsrs

Obrigadão, amiga, você é 10!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...