Palavras de Alento

25 de mar de 2013

Da urgência de simplicidade

Acabei de ler um texto no blog da minha amiga Viajante, e ela, pra variar, me inspirando. Escreveu sobre seu anseio pelas férias, pelo descanso, por estar com a família e saborear sem pressa a vida simples que leva quando está junto a eles. Adorei o texto, sobretudo porque revela parte de um sentimento que cada dia cresce mais em mim: a urgência da simplicidade.
Ando cansada da vida agitada, e olhe que, há tempos, deixei pra traz aquilo que poderia estar complicando ainda mais a minha vida. Exemplo: relacionamentos (amorosos ou não) com pessoas complicadas, vida acadêmica, emprego no setor privado e solteirice. Acho que se ainda estivesse vivendo dentro dessa lógica, as coisas estariam bem mais difíceis.
Descobri que quero, que preciso, levar uma vida simples. Sempre quis descomplicar a vida, mas agora isso se tornou uma urgência. Perdi a tolerância para a competitividade, diminui meu nível de ambição, aprendi a silenciar e aos poucos venho desacelerando.
Crise dos 40? Talvez. A idade não me pesa, do contrário, me traz essa leveza de querer ser e viver de forma simples. A agitação da cidade tem cheiro de segunda a sexta. Finais de semana combinam com o aconchego do lar, comidinha caseira, maridinho, filho brincando e uma vontade enorme de encher a casa de crianças. Seria tarde?
Ao me olhar no espelho tenho gostado do meu rosto com ares de senhora. Já não há mais uma menina lá. O brilho suave nos olhos e o sorriso sedutor de outrora deram lugar a algo que beira a serenidade. Ainda não sei bem o que é. Um misto de saudade do que se foi e desejo de que tudo dê certo. Carrego no semblante experiências que me lembram que, apesar da aparência teimar em não revelar, eu tenho 40 anos de vida. E pra viver mais 40, preciso ser simples.
Imagem retirada do Facebook.



21 de mar de 2013

BC KCL: Livros: Aonde você guarda os seus?

A Kakau, do blog Kakau com Limão está com um projeto de blogagens coletivas bem interessante. Essa é a segunda edição e eu resolvi participar. Na verdade estou precisando ler mais, e talvez a BC já me ajude a tomar coragem pra retomar minhas leituras.

Vamos ao post:
Sempre li muito, desde menina, mas tinha poucos livros em casa. Costumava passar as tardes com meus irmãos na biblioteca pública da cidade, íamos caminhando e nos deliciávamos com aquele acervo antigo e vasto. Era uma farra! Para despistar a bibliotecária, inventávamos nomes diferentes a cada dia. rsrsrs
Quando fiz 15 anos, ganhei de meu primeiro namorado um livro. Daí em diante ele passou a me emprestar um livro atrás do outro. antes do advento da internet eu lia muito mais livros. Hoje leio muito na tela e agora descobri que é possível ler livros também pelo Google. :D
Tenho muitos livros sobre educação, minha área de atuação, alguns de crônicas, mas poucos romances. Não gosto de auto ajuda, mas já li, e até tenho alguns. O livro que mais me marcou (porque muitos marcaram) ultimamente foi Tempo de Esperas, do Padre Fábio de Melo, que me foi emprestado por uma amiga (é raro eu comprar um livro, ou ganho ou leio de alguém). O texto do padre é suave e delicioso, a gente vai  devorando o livro e aprendendo a amansar a alma. E isso pra mim é fundamental. rsrsrs
Bem, agora que "casei e mudei", meus livros estão guardados na estante da sala, até que arrumemos o quarto de estudos, onde várias prateleiras estarão à disposição deles. Não deixo os livros no quarto de dormir porque, segundo a minha alergologista, acumulam poeira, mesmo quando a gente limpa diariamente. Nesta foto não estão todos os livros que já li, e sim os que possuo. Para conhecer melhor meu gosto literário, confira minha estante no Skoob.

Gosto deles assim, alinhados por tamanho, em ordem decrescente.

18 de mar de 2013

Pra te encontrar

É curioso como a gente pode lançar um olhar diferente pra mesma coisa, né? Já aconteceu com vocês? Eu costumo observar algumas letras de músicas que falam de amor e acho que elas ficam muito mais verdadeiras quando destinadas a meu filho. rsrs
Outro dia, ouvindo essa canção dos Paralamas no rádio do carro, pensei em Crístian. Foi então que percebi o quanto a letra traduz a minha relação com a partida dele e com a forma como eu acredito que nos encontramos em sonho de vez em quando.
Hoje meu irmão faria 39 anos e com certeza estaria fugindo de telefonemas e encontros. Ao contrário de mim, ele detestava comemorar aniversário.
Lá se vão dois anos de ausência, de saudade e da falta daquele amor imenso que dedicávamos um ao outro. Isso ainda me maltrata muito, mas aprendi a viver sem ele, a lembrar dele sem sofrer tanto, porque acredito que ainda estaremos juntos um dia, e que é melhor pra ele agora que eu aceite que ele viva em outro lugar.
Enquanto isso, eu fecho os olhos e o vejo, porque ele está comigo aonde quer que eu vá.

15 de mar de 2013

Links da Quinzena #3

  1. Portal A Tarde: Professores devolvem livros do Alfa e Beto - Mobilização em frente à Secretaria de Educação de Salvador contra o programa de ensino adotado para esse ano letivo sem consulta prévia.
  2. Beleza e Saúde: Menopausa: Você está preparada? Eu não estou e espero que isso só me ocorra depois dos 50. kkkkkk Mas depois dos 40 é bom ir se informando a respeito.
  3. Último Segundo: Grupos protestam contra nomeação de Feliciano para Comissão de Direitos Humanos. Essa eu apoiei totalmente. Votamos mal e os deputados votam por conveniência.
  4. Correio: Centenas de soteropolitanos protestam contra pastor Feliciano no Farol da Barra  - Tivemos manifestações em todo o país, e Salvador não ficou de fora.
  5. Último Segundo: Pobreza recua no Brasil, mas fim da miséria é questionável - O governo acha que pode acabar com a pobreza, mas "o buraco é mais embaixo!".
  6. ADUFAL: Mulheres pedem fim da violência e divulgam Lei Maria da Penha, em caminhada pelo Centro de Maceió - Uma mobilização importantíssima em defesa da mulher.
  7. Facebook: Adeus, desorganização - Mudanças no lay out do Facebook estão por vir, quem quiser usar, clica no final da página e aguarda.
  8. Delas: Carinho dos pais na infância molda o cérebro das crianças - Como o amor dos pais tem poder sobre o comportamento dos filhos diante de situações críticas na vida adulta. 
  9. Terra: Conclave - 32 fotos mostram os 32 dias que mudaram a igreja católica - Uma coletânea de fotos belíssimas contam como foram esses dias que entraram para a história.
  10. Época: Rita Lee pergunta: “Feliciano faz chapinha?” - Pra encerrar um textinho bem humorado pra gente relaxar um pouco. Tomara que ele leia... rsrsr
Beijo grande!

12 de mar de 2013

O cara

O cara cresceu!
Do alto dos seus 5 anos de vida, completos hoje, afirma: "eu já sou um homenzinho!".
Dei um tempo com as bentices por aqui, porque sempre me sentia culpada ao postar fotos dele, com medo de estar expondo demais o cara. Mas hoje é dia de festa, de lembrar do nosso primeiro encontro, naquela madrugada quente de fim de verão.
Ele cresceu, e eu muito mais. Foram 5 anos de intenso aprendizado, de mudanças significativas na minha maneira de agir, de pensar e estar no mundo.
Hoje olho pra trás e vejo que tudo valeu a pena. Peço a Deus que seja sempre assim, que o cara seja feliz, tenha saúde, faça boas escolhas e mantenha sempre esse sorriso encantador no rosto.

Vou deixar com vocês a música que toca aqui em casa, porque vivemos pra ele e tudo aqui gira em torno d"o cara".

O cara se achando com óculos escuros!
O cara que chama você toda hora
E que choraminga se você demora
Que está todo tempo querendo te ver
Porque ainda não sabe viver sem você.

E no meio da noite te chama
Quer dormir na sua cama
Esse cara é Bentão!

O cara que causa o seu cansaço
Depois te sorri e te dá um abraço
Está do seu lado pro que der e vier
O filho esperado por toda mulher

Com você ele passa o domingo
Seu sorriso é lindo.
Esse cara é Bentão!

O filho que ama você do seu jeito
Que quando pequeno mamou no seu peito
Bagunça a casa, e faz um terror
Te pede desculpas, te dá seu amor

De manhã ele acorda feliz
Num sorriso que diz:
Esse cara é Bentão!
Esse cara é Bentão!

Eu sou o filho certo pra você
Que te faz feliz e que te adora
Que enxuga seu pranto quando você chora
Esse cara é Bentão!
Esse cara é Bentão!

O cara que sempre te espera sorrindo
Que corre pro abraço quando você vem vindo
Te beija no rosto, te abraça feliz
Encantado te olha nos olhos e diz
Que sentiu sua falta e reclama
Ele te ama

Esse cara é Bentão!
Esse cara é Bentão!
Esse cara é Bentão!
Esse cara é Bentão!

8 de mar de 2013

Às mulheres da minha vida

A primeira mulher da minha vida foi minha mãe. A primeira pessoa que eu conheci, que me criou, me educou, me ensinou a ser e a não ser. Aprendi com minha mãe até o que ela deixou de ensinar. Aliás acho que esse é o maior aprendizado da minha vida: aprender com a negligência alheia.
Depois veio minha irmã, esse ser humano que nasceu 4 anos depois de mim, mas que ocupou tanto espaço na minha vida, desde sempre. Com ela aprendo, sobretudo a ser paciente, tolerante e amar antes de criticar. Apoiá-la tornou-se quase uma missão pra mim.
Na minha infância a mulher que eu mais admirava era minha avó paterna. Guerreira, forte, independente, amorosa, engraçada, uma figura! Mas foi acometida pelo Alzheimer e já se lembra de quem eu sou. Triste isso, mas eu  continuo a ir vê-la, conversamos... ela pensa que sou uma amiga. Acho que sou.
Tia Lai entrou nesse rol também, por ser o meu exemplo de pessoa que mais ama a família. Sempre se dedicando, ajudando as irmãs a criarem seus filhos, quando na verdade deveria precisar da ajuda delas, por ter um filho especial (cadeirante) e ter sido deixada pelo marido. Aliás, à exceção de minha irmã, todas elas o foram.
Cida foi uma amiga inesquecível, que esteve comigo por muitos anos, dividindo momentos muito especiais. Me ajudou a me adaptar à vida na capital, me deu casa, e ainda me conseguia empregos. Nossa amizade não acabou, mas nos distanciamos muito depois dos nossos casamentos (que não deram certo também...).

Depois surgiram muitas outras importantes, amigas que vieram e se foram,  mas que deixaram sua marca. Minha homenagem hoje a todas: Carol, Fafau, Ju, Kátia, Elane, Sueli, Jamile, Jemilly, Sheila, Vanessa, Mara, Ariana, Andréia, Camila, Rosa, Malu, Dina, Cláudia, ... e claro, às amigas blogueiras que sempre passam por aqui deixando um pouco de seu carinho.



4 de mar de 2013

Não curti!

Eu ando há muito querendo escrever sobre redes sociais. Escrever sobre o fascínio que elas despertam nas pessoas - em mim, inclusive - sobre sua ascensão meteórica e por fim sobre a queda (iminente).
Acho que me embriaguei de internet, de navegação, de exposição e de compartilhamentos. Estou ressaqueada de falta de conteúdo e da multiplicação da imbecilidade. Em suma, enchi o saco mesmo!
Se por um lado há a vantagem de reencontrar antigos amigos, estar por dentro do que acontece na vida daquela prima que mora longe, ou visualizar fotos das gracinhas que cada filho de um conhecido apronta, por outro há sempre um preço a se pagar. E nesse caso, o preço é a convivência lado a lado com centenas de gente sem noção. É isso ou se torne a mau humorada que não aceita nenhum convite.
Quando migraram milhares de usuários do falecido Orkut para um Facebook que mais parecia uma festa privê, começou-se a prever sua banalização. Ora, o espaço pode ser novo, mas se os frequentadores eram os mesmos que enviavam mensagens fofas com bebês e bichinhos, além de postarem imagens carregadas de glitter no scrapbook alheio, é claro que em pouco tempo conseguiriam detonar aquele ambiente clean idealizado por Marck Zukerberg! 
O deslumbramento também é outro fator a se considerar. Os novatos no "face" saem compartilhando imagens como se estivessem numa mega liquidação, e tivessem que levar tudo em poucos segundos. Vê-se uma avalanche de imagens, com ou sem frases, creditadas ou não, publicadas quase que à velocidade da luz. Nem dá tempo de refletir!
Isso tem me incomodado demais, mas o que me motivou a sentar aqui e soltar o verbo foi ter, pela quarta vez, uma foto minha compartilhada, não foi só pelo fato da imagem ser de minha autoria, mas porque nela aparecem membros da minha família. Facebook é terra sem lei. 
Ninguém me agrediu, me feriu, ou publicou algo ofensivo. Só me senti invadida. E se isso é pouco, pra tanto barulho, queria apenas chamar àqueles que me lêem para uma reflexão: A gente precisa disso?
Imagem daqui

1 de mar de 2013

Top Parceiro #fevereiro

Início de mês tem a divulgação do blog que mais gerou visitas no mês anterior, o Top Parceiro, e olha só: Juro pra vocês que dessa vez eu não me surpreendi, porque essa é minha parceira há mais de oito anos. Nos conhecemos no ambiente profissional, mas a empatia rendeu uma amizade que transpõe as barreiras da distância.
O Foi assim: é o espaço que a minha amiga Ju - A viajante, para os blogosféricos - criou para relatar suas viagens. Mas o blog é muito mais que isso. É o filho dela, é o amigo, o parceiro, o ouvido... uma grande e duradoura paixão.

Amiga, obrigada pela parceria, não só na blogosfera, mas também na vida.

Top parceira e top comentarista do IMD.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...