Palavras de Alento

29 de jun de 2011

Inverno Colorido

Existe uma canção de rock não muito conhecida que eu e meus irmãos costumávamos ouvir quando adolescentes, cujo refrão dizia assim:

                                        "Ano que vem eu volto e faço tudo ao contrário"

Esse verso sempre soou como uma verdade absoluta para mim, porque em minha vida as coisas costumam dar um giro de 180 graus no ano seguinte. 
Se no inverno de 2010 eu vivi dias cinzentos com a descoberta da doença que irremediavelmente nos tirou meu irmão, hoje, apesar da dor de tê-lo perdido, permito-me viver um recomeço com outra consciência e a esperança de dias melhores que já se desenham no horizonte.
Parece estranho dizer que estou feliz após uma perda tão cruel, mas a escuridão do inverno passado deve ficar para trás, e agora, com o blog de lay out novo, espero compartilhar com vocês as alegrias de um inverno totalmente alto astral.
Sejamos fortes e resistamos aos invernos da vida, porque a felicidade nos espera em alguma esquina, independente da estação!

24 de jun de 2011

Festa Junina

Pra mim uma das melhores festas do calendário brasileiro, riquíssima do ponto de vista cultural e democrática, por ser acessível a todos os níveis sociais. Na verdade, acho que, quanto mais simples melhor, pois a essência dos festejos juninos são os elementos que remetem à vida simples do interior, da roça mesmo.
Desde criança costumo passar a festa de São João no interior, ao lado de minha família e amigos. Esse ano, pela primeira vez pude levar meu filho para conhecer de perto uma fogueira, soltar fogos e degustar comidinhas típicas.
Ele adorou!
A cada foguete estourado, gritava olhando pro céu: "Viva São João!"
Ficamos felicíssima, e só não me realizei mais porque ele não suporta pintar o tal bigodinho... rsrsrs
Lembro de mim e meus irmãos vestidos de caipira, das queimaduras de fogos nas pernas, de correr com medo de corisco, de contar os balões no céu,  das quadrilhas em que dancei, de ir de casa em casa com os amigos da adolescência gritando: "São João passou por aí?" e a cada resposta positiva, entrávamos para degustar o licor e as iguarias preparadas com capricho pelas donas das casas.
Hoje muitas tradições se perderam. As famílias já não podem receber estranhos em suas casas, sob o risco de estarem colocando-se em situação de perigo. As crianças não têm a liberdade que tínhamos de brincar e soltar fogos na rua. Privatizaram a festa, que de simples passou a ser sofisticada, cara e segregacionista. E até o forró, do triângulo, da safona e da zabumba, típicos do interior, ganhou acordes de guitarra e coreografias que nada têm a ver com a dança original das quadrilhas juninas.
Saudades desse tempo que não volta, e que meu filho não vai poder viver.

21 de jun de 2011

Torturando Bento

O menino tem verdadeira aversão a cortar o cabelo. 
Como ele já fez escândalos em vários no salões de beleza infantis, eu fico procurando espaços novos, porque morro de vergonha de voltar nos lugares onde ele deu show. 
Não adianta tentar distraí-lo com brinquedos, vídeos, revistinhas ou pirulitos, ele tem verdadeiro pavor da tesoura.
Na última vez, entre lágrimas, ele chamava o paciente e alegre rapaz que o atendeu, de bobão, babaca, chato, entre outros impropérios. E a mamãe aqui não sabia se ria, se ralhava com ele, se ou enfiava a cara na lixeira.
Dessa vez resolvi eu mesma cortar-lhe as madeixas, em casa. Consegui convencê-lo de que não iria doer, que seria rápido e que logo ele entraria no banho pra tirar os cabelos que cairiam pelo corpo. Acho que é  essa parte que mais o incomoda. 
Então sentei-o na pia do banheiro e comecei a tortura. No início ele dava um risinho nervoso, dizendo que sentia cócegas, mas em menos de cinco minutos já abria o berreiro:
- Pára, mamãe! - implorava aos prantos
- Calma, filho, já tô terminando - que nada, ele se mexia tanto que ficava cada vez mais difícil de acertar o cabelo, e não a orelha.
E o desespero batia, ele continuava chorando e agora as lágrimas faziam os cabelos grudarem no rosto, ele tentava tirar e acabava espalhando o cabelo cortado pela boca, nariz, olhos... No meio desse desespero todo ele proferiu:
- Pára com isso, mamãe. Você tá uma "vilona"!

18 de jun de 2011

Dia 18

Hoje é dia dezoito, e como essa data sempre trouxe coisas boas pra minha vida, não posso deixar de comemorar! É incrível como os anos passam e as alegrias continuam se renovando, sempre nessa data.

Além disso, estou de férias (mas o blog não) e transbordando de felicidade por poder descansar e ir visitar a família nos próximos 15 dias!

14 de jun de 2011

Palavra da Oprah

Queridos(as), recebi esse texto por e-mail, ele é atribuído a Oprah Winfrey, apresentadora de TV americana. Não costumo publicar textos que não são de minha autoria, mas gostei tanto, que resolvi compartilhá-lo com vocês. Apreciem! 

Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe; Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.
Pare de dar desculpas (de arranjar justificativas) para um homem e seu comportamento.
Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.
Pare de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.
Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você encontre um que realmente te faz feliz.
Se uma relação terminar porque o homem não te tratou como você merecia,”foda-se, mande pro inferno, esquece!”, vocês não podem “ser amigos”. Um amigo não destrataria outro amigo.
Não conserte.
Se você sente que ele está te enrolando, provavelmente é porque ele está mesmo. Não continue (a relação) porque você acha que “ele vai melhorar”.
Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas ainda não estiverem melhores.
A única pessoa que você pode controlar em uma relação é você mesma.
Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então, porque ele te trataria diferente?
Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.
Coloque limites no modo como um homem te trata. Se algo te irritar,faça um escândalo.
Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.
Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.
Nunca o deixe sentir que ele é mais importante que você… mesmo se ele tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.
Não o torne um semi-deus. Ele é um homem, nada além ou aquém disso.
Nunca deixe um homem definir quem você é.
Nunca pegue o homem de alguém emprestado. Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.
Um homem vai te tratar do jeito que você permita que ele te trate. Todos os homens NÃO são cachorros.
Você não deve ser a única a fazer tudo…compromisso é uma via de mão dupla.
Você precisa de tempo para se cuidar entre as relações. Não há nada precioso quanto viajar. Veja as suas questões antes de um novo relacionamento.
Você nunca deve olhar para alguém sentindo que a pessoa irá te completar.
Uma relação consiste de dois indivíduos completos, procure alguém que irá te complementar… não suplementar.
Namorar é bacana, mesmo se ele não for o esperado Sr. Correto.
Faça-o sentir falta de você algumas vezes… quando um homem sempre sabe que você está lá, e que você está sempre disponível para ele, ele se acha…
Nunca se mude para a casa da mãe dele.
Nunca seja cúmplice (ou co-assine qualquer documento) de um homem.(cama e escovas de dentes juntas, Conta Correntes separadas)
Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você precisa. Mantenha-o em seu radar, mas conheça outros…
O medo de ficar sozinha faz que várias mulheres permaneçam em relações que são abusivas e lesivas.
Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e se um homem te destrata, é ele que vai perder uma coisa boa.
Se ele ficou atraído por você à primeira vista, saiba que ele não foi o único.
Todos eles estão te olhando, então você tem várias opções.
Faça a escolha certa.

9 de jun de 2011

A história secreta da Mulher Só e do Homem Sem Tempo

Capítulo XXVI 

Sentiu um arrepio percorrer-lhe as costas. Abriu os olhos lentamente e observou seu quarto sob a sutil penumbra do amanhecer. 
Estava deitada de costas, nua. Sentiu novamente algo delicado percorrendo-lhe o corpo. Virou-se e lá estava ele, sentado na beira da cama. Um sorriso meigo iluminava-lhe o rosto, aproximou-se dela e beijou-a de leve nos lábios, em seguida ofereceu-lhe a rosa púrpura com a qual passara os últimos vinte minutos acariciando-lhe as costas. 
- Amo-te! – entregou-lhe a flor – Mas preciso partir.
Ela sorriu, espreguiçando-se. Estava feliz e mal podia acreditar no que seus olhos viam: O Homem Sem Tempo, que amara secretamente por tanto tempo, havia passado a noite inteira consigo. Antes que pensasse se tratar de um sonho, relembrou os acontecimentos do dia anterior. 
Na manhã de domingo acordara com o celular tocando, e ainda meio tonta, levantou-se para atendê-lo: 
- Estou em Barcelona, vim despedir-me de ti. - do outro lado da linha, como uma música suave, a voz do Homem Sem Tempo soou. Mas como ele poderia estar lá? O que fizera com a esposa? – Meu vôo fez uma escala e devo passar algumas horas na cidade, acabei de chegar ao aeroporto. 
Ele não lhe dava tempo para organizar os pensamentos. Sem ir diretamente ao assunto, despejava sobre ela a decisão de vê-lo, como se ela pudesse escolher. Sabia que se não fosse encontrá-lo, provavelmente o perderia novamente. 
Arrumou-se, pegou emprestado o carro da Garota Francesa e rumou ao encontro de seu amado. Abraçaram-se, saudosos, e foram conversar enquanto tomavam café. Ela arriscou sugerir uma volta pela cidade, ele assentiu, e lá se foram. Passearam lado a lado pelo bairro Gótico, depois visitaram o Museu Picasso. Após almoçarem num restaurante em frente ao mar, no bairro de Barceloneta, ela perguntou-lhe, olhando o relógio: 
- A que horas sai o seu vôo? 
- Saiu há exatos 45 minutos. Agora vou ter que passar a noite aqui. – Ele disse, prendendo o riso e demonstrando tranqüilidade, após constatar que já passava das 14hs. 
Ela apenas riu, feliz. Não perguntaria mais nada. Passearam o resto da tarde pelas ruas de La Rambla, reduto de turistas. Lá pelas tantas lembrou-se de que precisava devolver o carro à amiga, que provavelmente o usaria para sair à noite.
Em casa, entregou às chaves à Garota Francesa, que apressou-se em sair, ao perceber o que estava prestes a ocorrer. 
Ficaram os dois na sala, acompanhados de uma garrafa de vinho tinto, duas taças e um vaso contendo rosas de cor púrpura sobre a mesinha de centro.

To be Continued

6 de jun de 2011

Um Pedido

Encontrou uma fitinha do Bonfim enquanto futucava algumas coisas na estante da casa da tia. Veio na minha direção balançando-a.
- Mamãe, o que é isso?
- É uma fitinha do Bonfim. Serve para amarrar no pulso e fazer um pedido.
Comecei a prender a fita verde limão no bracinho dele e continuei:
- Faz um pedido, filho.
- Um pedido??? - questionou. 
Percebi que ele ainda não conhecia o significado daquela palavra, embora saiba pedir como ninguém.
- Sim, pede qualquer coisa que você queira muito, porque quando a fita romper, você vai ganhar o que pediu.
- Hummm - fez cara de quem entendeu tudo e disparou: - Quero um biscoito de chocolate! 
Ri e pensei comigo: meu filho está na idade em que tudo que se quer da vida é algo doce. 
Essa idade deveria ser para sempre!

2 de jun de 2011

Amarela

Era assim que ele carinhosamente a chamava, e foi como nós nos acostumamos a chamá-la também.
Amarela estava predestinada a viver, ao lado de meu irmão, os melhores e piores momentos de seus últimos anos de vida.
Amarela foi a escolhida.
Amarela ficou só, e viu seus sonhos, desejos e planos serem rejeitados por Deus no dia em que abriu um envelope contendo o maldito resultado de um exame. Seu rosto, amarelo e sardento, ficou rosado, e seus olhos amarelados feito mel, ficaram em brasa. Seu sorriso sumiu e seu coração petrificou.
Ele se foi há exatos três meses, e agora quando eu vejo Amarela não posso deixar de sentir a presença dele, porque ela, para mim, sempre guardará consigo um pouco dele. 
Do melhor dele. 
Daquele olhar que ele lançava para ela, que era puro amor. Um olhar que eu nunca o vi lançar para mais ninguém, com aquela cara linda de "babaca" que ele não conseguia disfarçar, porque o amor se revela é pelo olhar.
Domingo encontrei Amarela e senti um enorme aperto no peito ao vê-la ir embora sozinha. Senti por eles não terem tido tempo de nos presentear com um fruto do ventre dela, para nos lembrarmos eternamente do amor que os uniu um dia.
Amarela foi a escolhida dele. 
Mas antes disso, Amarela foi escolhida por mim e Jea, que muito antes do namoro deles engatar, já confabulávamos para uní-los. Achávamos que ela sim, estava à altura do nosso amadíssimo irmão. E o nosso desejo foi tão forte que o universo conspirou pra esse encontro, e, mesmo sem termos nenhuma participação, eles acabaram por se encontrar e ficar juntos por sete anos.
Até que a Morte os separou.
Agradeço à Amarela por tudo. Por tê-lo amado tanto quanto ele precisava e merecia. 
Por ter sido paciente e enfermeira, companheira e acompanhante, motivadora e motivação. 
Agradeço pela dedicação, pelo cuidado, pelo carinho para com ele e com toda a nossa família (que é sua família também, pois a temos em nossos corações).
Agradeço agora e sempre, com lágrimas nos olhos, pelo presente que ela me deu no domingo.
Agora posso dizer que o trouxe para dentro de minha casa, posso olhar para o seu violão, vislumbrá-lo, e lembrar de tantos momentos bons que passamos juntos.
Amarela foi a escolhida por Deus, não resta dúvida.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...