Palavras de Alento

27 de set de 2010

A história secreta da Mulher Só e do Homem Sem Tempo

Capítulo XV
A vida noturna em Barcelona era intensa. Não fazia parte dos hábitos das pessoas daquele lugar darem festas em suas casas, entretanto, como havia uma quantidade enorme de casas noturnas, eles costumavam sair quase todas as noites. Comemorava-se tudo.
Logo que mudou-se para o apartamento da garota francesa, saiu com ela muitas vezes, embriagou-se em algumas, divertiu-se, depois voltou a enfurnar-se em casa, a estudar. Se continuasse naquele ritmo, certamente perderia a medida das coisas e fatalmente teria problemas no futuro.
Numa dessas saídas, conheceu um músico catalão, que ganhava a vida como DJ em alguns bares dançantes da cidade. Ele era amigo da garota francesa e estava sempre por perto, com seu sorriso aberto e os olhos incrivelmente azuis. Ofereceu-se para ajudá-la com o idioma, já que suas aulas na UB eram ministradas em Catalão, e não em Espanhol, idioma que ela dominava.
Conversaram animadamente numa boate e no final da noite, ele tentou beijá-la, mas a Mulher Só esquivou-se. Não que ele fosse desinteressante, mas como ela costumava racionalizar demais, achou por bem não perder o foco de sua estada naquele país.
Definitivamente, não era o momento de envolver-se.
To be continued

24 de set de 2010

Desconectada

Passei um dia sem internet. Esqueci (?) de pagar a fatura, a qual não localizei em parte alguma, e tive que enfrentar toda aquela burocracia chata de falar com atendente virtual, solicitar segunda via, imprimir, pagar, etc, até que restabelecessem minha conexão.
E pra completar, ontem esqueci meu celular e meus três chips na escola e provavelmente eles foram parar nas mãos de alguém que eu não identifiquei e que provavelmente não tem a intenção de devolver-me. Resultado: Lá fui eu novamente falar com atendente virtual (de três operadoras) na tentativa de bloquear os chips, anotar número de protocolo, criar senha de desbloqueio, pesquisar novos aparelhos na internet... Um saco!
Pior que isso é a sensação de ter sido roubada, além de sentir-me isolada, de mãos atadas, sem poder comunicar-me. Preciso e pretendo resolver isso logo, pois não consigo ficar sem o bendito do celular. (O vício é tanto que durmo com ele ligado, e agora que ele se foi, chego a senti-lo vibrando na bolsa.)
O problema não é comprar outro, é que eu tinha um certo apego a ele, todo grandão, com as minhas fotos, os vídeos do menino, as músicas favoritas, meus toques diferenciados para cada pessoa, sem falar na agenda...

Enfim, desventura pura.
Logo agora que tava tudo dando tão certinho...
Como diria Ju: Ninguém pode ver ninguém bem...

21 de set de 2010

O Que é Paixão?










Esse post é pra ser interativo, portanto conclamo a todos a responderem à pergunta abaixo:

"O que é estar apaixonada(o)?"

19 de set de 2010

Sunset


E lá se foi o meu fim de semana.
Com certeza um dos melhores dos últimos tempos.
Outros virão, assim espero!

13 de set de 2010

Amores Possíveis

Uma amiga certa vez queixou-se comigo de um ex, com quem ela terminara porque "não via futuro com ele" - o cara era pobre. Anos depois ele estava casado, relativamente bem sucedido e feliz. "Não acreditei nele", lamentava-se ela, que continuava só, à espera de um príncipe, um homem que se encaixasse no seu sonho.
Nós, mulheres, crescemos acreditando que um dia encontraremos aquele ser perfeito que irá corresponder a todas as nossas exigências, suprir nossas carências, e com ele seremos felizes e realizadas.
Mas a sensação de estar ao lado de um ser perfeito passa rapidinho... Cheguei à conclusão que os homens reais estão muito distantes dos estereótipos que criamos e perseguimos: atléticos, intelectuais, bonitões, sedutores, ricos, sensíveis, bons de cama...
Homem perfeito não existe, caso contrário estaria à procura de uma mulher perfeita, ou já casado com ela.
Idealização demais só nos traz frustração. Queremos o ideal, mas precisamos acreditar no real, no palpável, no tangível. Ou morreremos sós, velhas e recalcadas!
Propagamos aos quatro cantos que não tem homem solteiro na praça (algumas usam isso como justificativa para envolverem-se em verdadeiras ciladas...) mas há homens sozinhos aos montes por aí, o que precisamos é enxergá-los além do que nossos olhos podem ver, e dar-lhes uma chance de nos fazer feliz.
Cansei de príncipes. Cedo ou tarde eles viram sapos.
Agora só aposto em amores possíveis.

11 de set de 2010

A história secreta da Mulher Só e do Homem Sem Tempo

Capítulo XIV

A vida em Barcelona seguia seu curso normal. As aulas consumiam boa parte do seu tempo, e o restante era destinado às leituras necessárias ao embasamento de sua dissertação, por isso passava o dia inteiro na Universidade, entre salas de aula e bibliotecas, só retornando à casa ao final da tarde.

Estava dividindo um pequeno apartamento nas proximidades da Universidade, com uma garota francesa, também estudante, porém, um pouco mais jovem. Sua bolsa de estudos não previa hospedagem, apenas ajuda de custo ou uma vaga no alojamento universitário, onde se encontrara inicialmente. Chegara até essa garota através de um anúncio, escrito em português, pregado num mural nos corredores da UB. A possibilidade de sair do alojamento de estudantes a agradou muito, mas os custos com aluguel de um imóvel na cidade eram altos e inviáveis.

Após um único contato se mudara imediatamente. Agora tinha um pouco de privacidade em seu próprio quarto, e, vez por outra, a companhia da garota francesa, que lhe contara ter morado durante um ano no Brasil, na época em que saíra pelo mundo a conhecer outras nações. A MS se encantara com a liberdade com que aquela moça levava sua vida, e sua companhia a agradava muito, sobretudo porque ela conhecia muita gente em Barcelona.

Agora sentia-se um pouco menos solitária e melancólica. Aliás, desde que chegara, havia pensado pouco no que deixara no Brasil, estava realizando um sonho antigo, que custara muito a acontecer. Não desperdiçaria mais seu precioso tempo com lamentações. Iria viver.

To be continued

7 de set de 2010

Dias Multicores

A linha era verde.
O céu era rosa;O mar era branco;O rio era prateadoE eu, que era amarela,...voltei da cor da alegria.

3 de set de 2010

Feriadão à Vista

Alegria, Alegria. Fim de semana prolongado, com direito a "enforcar" o trabalho na segunda-feira.
Está aberta a temporada de feriadões. É por essas e outras razões que eu gosto tanto do mês de setembro: ele já começa me dando descanso... em outubro tem mais, novembro também. Logo estaremos com um pé em dezembro, e aí virão as festas, as férias, o verão! Adoooooro!
Embora não seja uma viajante, há algum tempo estou planejando essa fuga da realidade. Infelizmente, intervenções que fugiram ao meu controle, me fizeram adiar o projeto de pegar a estrada meio sem destino e tentar encontrar um pedacinho de paraíso pra ser feliz.
Não importa aonde, nem quando. O que importa é esquecer a rotina sacal do dia a dia e curtir a sensação de liberdade e a felicidade que um momento como esse pode nos proporcionar.


Fui!
(Vou esquecer do mundo por dois dias)



"Vamos fugir,

deste lugar, baby
vamos fugir..."

1 de set de 2010

Setembro

"Quando entrar setembro
E a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão
Onde a gente plantou..." - Beto Guedes

Setembro é um divisor de águas no meu calendário.
A proximidade do fim do ano me anima, o sol volta a brilhar, o calor insuportável do verão ainda não se instalou, e embora não tenhamos as estações do ano bem definidas, algumas florzinhas surgem aqui no jardim do condomínio, pra alegrar meus dias.

O inverno passou!!!

(Pra tudo estar completamente bem, só precisava que Deus pusesse seu dedinho poderoso sobre uma ferida maldita que se encontra no corpo de alguém que mora em meu coração desde que nasceu.)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...