Palavras de Alento

27 de fev de 2010

A história secreta da Mulher Só e do Homem Sem Tempo

Capítulo III

A versão dele:

Sob meu forte olhar atento e juvenil a "Mulher só" nunca estava só, pelo menos, nunca a vi só, mas a contemplava. Sua vida sempre se distanciou da minha. Vivemos em mundos paralelos em espaços comuns e com pessoas bem próximas. Somente nós dois estávamos distantes. O porque, ainda não sei. Mas voltemos à mulher só. Talvez ela nem soubesse o quanto eu a desejava, o quanto representava no meu universo particular, vazio e sombrio, pela ausência de sua luz que de mim se distanciava. Deixei o tempo passar, assumindo uma postura correspondente à interpretação ou julgamento sobre o que a "Mulher Só" deixava de pensar sobre mim. Acreditava que para ela, eu era indiferente e devia tratá-la do mesmo jeito, com indiferença. Tal sensação, ao contrário do que imaginei, se modificou em razão de um momento em que, de fato, estávamos mais preocupados em um único ideal, não meu, nem dela, mas nosso. Após aquele dia, nossas diferenças começaram a desaparecer e no lugar de pensamentos muitas vezes distantes e indiferentes que caminhavam por "estradas" diferentes, surgiu uma forte amizade que ainda precisa ser cuidadosamente vivida. Agora, nossos papéis andam invertidos, apesar de nos desejarmos, acredito! Então, como não quero e não farei de um momento tão mágico e importante, como este que imagino , um a mais, não me cansarei de esperar, um pouco mais, pra viver o que a vida nos reserva de bom...

To be continued...

22 de fev de 2010

Carnaval 2010: Melhores e Piores

Arrebentaram:
  1. Os(as) turistas, que vieram curtir a festa, gerar renda pra cidade e claro, fazer a alegria da galera que beijou muuuuuuuito;
  2. O Vale Nigth - O que teve de gente feliz na avenida por causa dessa invenção maravilhosa de Durval Lélis...
  3. A PM baixando o sarrafo na galera do mal, que vai pra rua roubar e detonar com a festa de quem não tem grana pra se proteger num bloco ou camarote;
  4. Os camarotes. Gente, camarote é o que há. Custa o olho da cara, mas é diversão garantida. A festa dentro da festa, um universo à parte;
  5. Orquestra em cima do trio elétrico. Arrasou!

Vacilaram:

  1. Os mijões, que como sempre apodrecem as ruas despejando seu líquido ácido e fétido onde quer que seja (teve gente urinando em árvore, no meio do circuito Dodô, pode????);
  2. Alguns artistas baianos que tem o rei na barriga e se acham melhores que a própria festa (não vou citar nomes pra não dar ibope). Presenciei uma estrelíssima dando as costas ao povo no camarote onde eu estava. Que feio!!!
  3. Vou te Comer, Lobo Mau, Chapeuzinho... sei lá como se chama essa musiquinha infeliz. Quanto mau gosto!!!
  4. A imprensa. Fraquinha a cobertura pela TV... tudo igual a sempre, nada de novo sob o sol escaldante do Campo Grande;
  5. E claro, os filhos de Gandhy genéricos, que estão no bloco só pra laçar moçoilas com seus colares trocados por beijos, quase forçados. Tarados!

Essa é a minha lista, agora vc comenta e envia pra mim o que achou SHOW e o que foi o Ó!!!!

21 de fev de 2010

Feliz vida

Promessa é dívida.
Fiquei a dever um depoimento a essa pessoa fantástica que conheci há quase 6 anos (uma vida!), e como andei sem inspiração depois do carnaval (até parece que não foi bom...), e também resolvi não dar tanta bola pro orkut, achei por bem postar aqui minha alegria por tê-la como amiga, companheira de aventuras (vide último carnaval) e desventuras (vide último carnaval também).
Parabéns pelos quarentinha muitíssimo bem vividos, espero estar por perto nas próximas 40 comemorações.
Um grande beijo de uma de suas fãs (afinal são tantas(os)

Aqui vai minha homenagem à essa amiga EXTRAordinária.
(Se fosse verdade seria ótimooooo, né?)

PS: Só pra esclarecer, ela nunca foi casada.

16 de fev de 2010

Olha o Gandhy aê...

Novamente sobre os descalabros carnavalescos. Dessa vez venho aqui me perguntar o quê as mulheres vêem nos famigerados ditos filhos do pacificador indiano.

Seria ótimo se eles fossem mesmo pra avenida pregar a paz. Mas o bloco cresceu e sua essência se perdeu. Hoje o que se vê são verdadeiros tarados, querendo a qualquer custo trocar um colar por um beijo.

Até onde eu sei, essa prática partiu das próprias mulheres, que ofereciam um beijo como forma de agradecimento pelo adereço ganho das mãos do folião. Essa barganha não faz mais sentido, haja vista o sem número de ambulantes vendendo o colarzinho azul e branco pela bagatela de R$ 1,00 em qualquer esquina da cidade.

Esses carinhas usam a fantasia como se fosse uma roupa de super herói. Se empoderam, se acham lindos, os tais. Muitos, ao invés de usarem a camisa do camarote, ficavam a desfilar exibindo sua armadura poderosa, na tentativa de seduzir a mulherada.

Eu particularmente acho aquela fantasia uma tremenda roubada. Não dá pra ter a mínima noção se o cara tem pernas finas, se é barrigudo... o turbante pode esconder uma careca horrorosa!!! E aquela sandália com meia, hein... O que é aquilo???

Gandhy, coitado, jamais poderia prever que seu nome um dia estaria atrelado a esses sedutores de meia tigela. Imagine o velhinho assediando as meninas na rua, correndo atrás delas com um colar na mão, tentando laçá-las, como fizeram alguns comigo, enquanto fui de casa às imediações do Morro Ipiranga. Um verdadeiro desespero pra essa pessoa covarde, quando se trata da pipoca.

Mas nada disso foi suficiente pra que eu mantivesse uma distância razoável de uma dessas criaturas, e não me rendesse aos seus encantos (devo ter me embebedado com o cheiro de alfazema barata).

Perdoem-me, afinal é carnaval, e quando se trata desse assunto, sou extremamente controversa.

14 de fev de 2010

Nota de esclarecimento


Venho aqui diante de todos que me lêem, retificar parte das ideias registradas no post anterior.
Não resisti ao apelo e caí na folia, afinal, o que me impedia, já que ganhei 4 vale nigths?

Adoooooooro!!!

O carná tá sendo massa, depois posto as resenhas.

PS: Gente, apesar de tudo continuo insistindo que a pipoca é a treva!!! Quanto aos amores, aí já é outra história.

“Meu coração agora é todo carnaval”

11 de fev de 2010

Crônica Carnavalesca

“Carnaval, carnaval,
Eu fico triste quando chega o carnaval...”

Dizem que na Bahia, as coisas só começam depois do carnaval. Isso é fato, e confesso que já andei rezando pra folia de Momo passar rapidinho.
Houve uma época em que o carnaval pra mim era uma tortura. Como eu era totalmente rock’n roll, queria mais era sair da cidade, pois não suportava as músicas, as dancinhas, os modismos e o povo louco e suado querendo beijar a qualquer custo. Um saco!!!
Carnaval é festa pra solteiro. Isso também é fato. Quem tem namorado, nessa época do ano, sempre se ferra. Ou entra na paranóia de vigiar a figura durante as 24hs (se o ninja não desaparecer misteriosamente dias antes da folia), ou relaxa e leva chifre.
Qualquer uma das alternativas é humilhante. Talvez a primeira seja ainda mais.

Na verdade nunca concordei com o fato de as pessoas passarem o ano inteiro ansiosas pela chegada dessa festa, como crianças à espera do Natal (claro que com intenções bem diferentes...). Essas pessoas acreditam que durante o reinado de Momo, por estarem escondidas atrás de máscaras, abadás e turbantes, tudo é permitido. Aos homens cabe encher a cara e transformar-se no maior dos sedutores. Às moçoilas, liberar geral e beijar tantos quantos o percurso na avenida permitir. Um exagero!

Outra justificativa para o repúdio que sinto por essa semana festiva, se dá pelo fato de ter morado por muitos anos nos circuitos da folia. Eu via (e ainda vejo) meu direito de ir e vir cerceado pela modificação do trânsito, meu espaço invadido pelo barulho infernal, ambulantes acampando com suas famílias nos passeios, os muros se transformando em banheiros a céu aberto, enfim, a lista é grande... Não dá pra ser feliz assim, né?

Também acho o carnaval muito longo. Sete dias pulando atrás de um trio elétrico, é pra deixar qualquer um exaurido. Eu me canso só em ver pela TV. Além disso, haja dinheiro, porque o carnaval se tornou uma coisa cara. Um bloco, ou um camarote chega a custar, por apenas um dia, mais de um salário mínimo. O povo perdeu a noção do valor das coisas, só pode ser. Imagine se eu vou trabalhar como uma condenada, cumprir direitinho o meu papel social, para em fevereiro engordar a conta bancária desses milionários cantores de Lê Lê Lê. Tô fora! Não tem All Inclusive que me convença.

Vou confessar: Tudo que eu queria nesse carnaval era acabar com as férias do meu coração e viajar pra uma praia bem calminha, com alguém mais que especial. Talvez de lá víssemos o povo louco e suado se acabando de pular. Pela TV, é claro!

8 de fev de 2010

A história secreta da Mulher Só e do Homem Sem Tempo

Capítulo II

Houve uma época em que a Mulher Só acreditava que o Homem Sem Tempo era perfeito. Ele possuía as qualidades que as mulheres consideram importantes em alguém pra se amar. E ela sonhava em concretizar esse amor algum dia.
Mas por onde andava aquele homem que parecia tão assoberbado com seus afazeres, deveres e obrigações? Estaria feliz com a vida que escolhera? Já estaria a aquela altura, casado, com filhos? Não, não poderia o destino ser tão cruel assim justamente agora que ela estava livre para o amor novamente, após anos de clausura.
Num sábado à noite, enquanto se encontrava insone, rodeada por seus livros e vídeos, sua saudade foi abrandada pelo telefone tocando. Era ele. Sentiu-se invadida por um mix de sentimentos e um calor queimar-lhe por dentro. Por qual razão sentia-se assim, depois de tanto tempo? E por quê ele resolvera ligar àquela hora, após tantos meses, talvez dois anos, de desvanecimento...?
Atendeu, desconfiada. A voz do outro lado continuava a mesma, trazendo-lhe sensações que antes não podiam ser experimentadas. Agora ela permitiria que sua paixão explodisse. Queria e merecia viver esse momento.


To be continued...

5 de fev de 2010

Deu no Globo Repórter

Quem quiser pode me chamar de cafona, não tô nem aí...

Estou mesmo em casa em plena sexta-feira à noite, e pior, assistindo ao Globo Repórter.
Pelo menos hoje não foi ao ar nenhum documentário sobre bichos ou doenças, e sim sobre o tema mais apaixonante que pode existir: A explicação científica sobre o que acontece com o corpo quando ocorre a paixão!

Deu até vontade de liberar meu coraçãozinho pra se apaixonar de novo...

Vai sonhando...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...